Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais


Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais
(Cemaden)
Tipo Instituto de Pesquisa Governamental
Fundação 2 de dezembro de 2011 (9 anos)
Propósito Desenvolver, testar e implementar um sistema de previsão de ocorrência de desastres naturais em áreas suscetíveis de todo o Brasil.
Sede São José dos Campos, São Paulo
Línguas oficiais Português
Filiação MCTI
Diretor Osvaldo Luiz Leal de Moraes
Sítio oficial www.cemaden.gov.br

O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) é um núcleo responsável pela prevenção e gerenciamento da atuação governamental perante eventuais desastres naturais ocorridos em território brasileiro.[1] Este centro é vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).[2]

Em 9 de janeiro de 2012 foi anunciada pela Presidente da República Dilma Rousseff a criação da Força Nacional de Apoio Técnico de Emergência, órgão que prevê trabalho coordenado com o Cemaden. Em 11 de março de 2013, o Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação Marco Antonio Raupp anunciou a transferência do Cemadem para o Parque Tecnológico de São José dos Campos.[3]

Índice

Atuação


Criado em 2011 e inicialmente instalado na cidade de Cachoeira Paulista, no estado de São Paulo, este centro é responsável por gerenciar as informações emitidas por radares meteorológicos, pluviômetros e dados provenientes de previsões climáticas, repassando as informações para os órgãos competentes em todo o Brasil, visando antecipação perante possíveis ocorrências de situações meteorológicas que possam levar a ocorrência de um desastre natural[4].

O Cemaden tornou-se efetivamente operacional em 02 de dezembro de 2011[5], e desde então vêm emitindo alertas para o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD). A equipe de operação do Cemaden trabalha em uma Sala de Situação com capacidade para até 25 analistas[5]. Dentre os equipamentos existentes nessa sala estão um grande videowall, um gabinete de crise dotado de sistemas de teleconferências, modernos computadores e sistema de fornecimento de energia elétrica em caso de blecaute[5].

Os pesquisadores e tecnologistas do Cemaden trabalham com imagens de satélites de alta resolução e com uma série de equipamentos de alta tecnologia, tais como radares meteorológicos, plataformas de coleta de dados e de equipamentos de análise de solo[4], como forma de prevenção de eventos como inundações e escorregamentos de encostas [6].

Estrutura


O Cemaden tem sua estrutura definida por um regimento interno, estabelecido de acordo com a Portaria No. 857, de 5 de setembro de 2013[7], e possui além da Diretoria, duas Coordenações, duas Coordenações-Gerais e duas Divisões, na seguinte forma:

Referências


Ver também











Categorias: Desastres naturais no Brasil | Instituições governamentais do Brasil




Data da informação: 17.12.2020 04:07:29 CET

Fonte: Wikipedia (Autores [História])    Licença: CC-BY-SA-3.0

Mudanças: Todas as imagens e a maioria dos elementos de design relacionados a essas foram removidos. Alguns ícones foram substituídos por FontAwesome-Icons. Alguns modelos foram removidos (como "o artigo precisa de expansão) ou atribuídos (como" notas de rodapé "). As classes CSS foram removidas ou harmonizadas.
Os links específicos da Wikipedia que não levam a um artigo ou categoria (como "Redlinks", "links para a página de edição", "links para portais") foram removidos. Todo link externo possui um FontAwesome-Icon adicional. Além de algumas pequenas mudanças de design, foram removidos os contêineres de mídia, mapas, caixas de navegação, versões faladas e microformatos geográficos.

Observe: Como o conteúdo fornecido é retirado automaticamente da Wikipedia no momento especificado, uma verificação manual foi e não é possível. Portanto, o LinkFang.org não garante a precisão e a atualidade do conteúdo adquirido. Se houver uma informação incorreta no momento ou com uma exibição imprecisa, sinta-se à vontade para Contate-Nos: email.
Veja também: Cunho & Política de Privacidade.