Filipe I de França - pt.LinkFang.org

Filipe I de França




Filipe I
Rei dos Francos
Reinado 4 de agosto de 1060
a 29 de julho de 1108
Coroação 23 de maio de 1059
Antecessor(a) Henrique I
Sucessor(a) Luís VI
Regentes Ana de Quieve e Balduíno V de Flandres (1060–1066)
 
Esposas Berta da Holanda
Bertranda de Monforte
Descendência Constança de França
Luís VI de França
Cecília de França
Casa Capeto
Nascimento 23 de maio de 1052
  Champagne-et-Fontaine, França
Morte 29 de julho de 1108 (56 anos)
  Melun, França
Enterro Abadia de Fleury, Saint-Benoît-sur-Loire, França
Pai Henrique I de França
Mãe Ana de Quieve
Religião Catolicismo

Filipe I (Champagne-et-Fontaine, 23 de maio de 1052Melun, 29 de julho de 1108), também chamado de Filipe, o Amoroso, foi o Rei dos Francos de 1060 até sua morte. Era filho do rei Henrique I e Ana de Quieve, ascendendo ao trono com apenas oito anos. Durante seu reinado, a monarquia começou a recuperar-se do ponto baixo que alcançou durante o reinado de seu pai e Filipe conseguiu anexar os territórios de Vexin e Bourges.

Índice

Subida ao trono


Filho de Henrique I de França e Ana de Quieve, foi o primeiro príncipe da Europa ocidental com o, na época exótico, prenome de Filipe. A avó materna da sua mãe era descendente da dinastia macedónica do Império Bizantino, que afirmava remontar a Alexandre, o Grande e a Filipe II da Macedónia, e na qual este nome era comum.

Filipe foi coroado em Reims a 23 de Maio de 1059, na presença de seu pai. Com a morte do seu pai em 4 de Agosto de 1060, subiu ao trono e o primeiro condestável da França seria nomeado nesse mesmo ano. Só reinaria sozinho a partir de 1066, ao atingir a maioridade. A sua mãe, e depois o seu tio Balduíno V, conde da Flandres, assistido pelo arcebispo Gervásio de Reims, exerceram a regência desde a morte de Henrique I. Conforme o costume do seu tempo, seria coroado várias vezes durante o seu reinado: em 25 de Dezembro de 1071, pelo bispo Elinando de Laon, na catedral dessa cidade, em 16 de Maio de 1098 em Tours e em 25 de Dezembro de 1100 em Reims.

Domínios reais


Durante o seu reinado delinearam-se as grandes tendências da política dos soberanos capetianos do século XII: assegurar uma base concreta do poder real, por meio da consolidação do domínio real, e conter os vassalos mais poderosos. Para aumentar os domínios da coroa, tomou os territórios de parte de Vermandois, Gâtinais (1068), Vexin francesa (1077), viscondado de Bourges e o senhorio de Dun-le-Roi (1101). Desenvolveu a administração real e, para assegurar as receitas da coroa, dispôs dos bens da Igreja e vendeu cargos eclesiásticos, o que atraiu a fúria dos reformadores gregorianos.

Em 1071 sustentou a causa de Richilde e Arnulfo, a viúva e o filho de Balduíno VI, conde da Flandres, contra o seu cunhado e tio Roberto. Filipe foi derrotado na batalha de Cassel em Fevereiro, na qual o herdeiro Arnulfo morreu. Mas conseguiu tomar Saint-Omer em março e acordar uma paz com Roberto, que foi reconhecido conde da Flandres.

Conflito com Guilherme o Conquistador


Durante a maior parte do seu reinado, Filipe I lutou para diminuir o poder do seu mais importante vassalo, Guilherme o Conquistador, duque da Normandia e rei da Inglaterra a partir de 1066. Para isto, contou com o apoio de Fulque IV, conde de Anjou e de Roberto I da Flandres, que se sentiam também ameaçados por este vizinho demasiadamente poderoso. A fim de consolidar a sua aliança com a Flandres, casou-se com Berta da Holanda (ca. 1055 - 1094), filha do conde Florent I da Holanda e de Gertrude de Saxe.

Filipe infligiu uma grave derrota a Guilherme perto de Dol-de-Bretagne, em 1076. No ano seguinte, reforçado pela vitória, tomou a Vexin francesa a Simon de Crépy, filho do terceiro esposo de Ana de Quieve, que se tornou monge das castelarias de Mantes e de Pontoise.

Guilherme I de Inglaterra renunciou à Bretanha e acordou uma paz com o rei francês, que mesmo assim se manteve preocupado com a ameaça anglo-normanda. Através de uma política continuada pelos seus sucessores, esforçou-se em desenvolver dissensões na família d'o Conquistador.

Em 1078 a França tomou o partido de Roberto II da Normandia, o primogénito de Guilherme, quando este se revoltou contra o pai. Depois de lhe ter confiado a guarda do castelo de Gerberoy, nos arredores de Beauvais, Filipe terá mudado de aliado. No ano seguinte preparou-se para cercar o castelo juntamente com Guilherme, que se feriu na operação. Pouco depois, Roberto obteve o ducado da Normandia. O rei capetiano recebeu por recompensa a vila de Gisors na margem direita do rio Epte.

Depois da morte de Guilherme I da Inglaterra, a 9 de Setembro de 1087, mesmo com Roberto II da Normandia tentando tomar a Vexin francesa a Filipe, este ajudou-o a tentar recuperar o trono da Inglaterra que o seu irmão, Guilherme II da Inglaterra, herdara. O novo monarca inglês tentaria, como represália, tomar também a Vexin entre 1097 e 1099, mas falhou nas três campanhas sucessivas.

Excomunhão


Na Primavera de 1092, Filipe enamorou-se de Bertranda de Monforte (ca. 1061 - 1117), esposa de Fulque IV, conde de Anjou. Repudiou Berta da Holanda e casou-se em segundas núpcias com Bertranda a 27 de Maio de 1092. A 16 de Outubro de 1094, o concílio de 32 bispos em Autun pronunciou a excomunhão do rei.

Chegado a França para retomar a reforma gregoriana e excomungar novamente o rei, a 27 de Novembro de 1095 o papa Urbano II pregou a Primeira cruzada no concílio de Clermont. Declarado anátema, Filipe não participou das cruzadas, apesar de o seu irmão Hugo I de Vermandois ter sido um dos principais intervenientes, juntamente com Raimundo IV de Toulouse.

Depois de associar o seu filho Luís à coroa em 1098, deixou-o encarregado das operações no terreno. Depois de uma controvérsia sobre o bispado de Beauvais, entre 1100 e 1104, Filipe reconciliou-se com o papado e foi absolvido em 1104. Em 1107, o papa Pascoal II deslocou-se à França, onde se encontrou com o rei e o herdeiro da coroa em Saint-Denis. Seria assim selada por um século a aliança entre o reino da França e o papado contra o Sacro Império Romano-Germânico.

A 29 de Julho de 1108, Filipe I morreu no castelo real de Melun depois de quarenta e oito anos de reinado, o terceiro mais longo da história da França. Devido aos pecados que cometera durante a sua vida, não quis ser sepultado ao lado dos seus ancestrais na basílica de Saint-Denis, mas sim na abadia de Fleury em Saint-Benoît-sur-Loire. Seria sucedido pelo seu filho Luís VI de França, cognominado o Gordo, de 29 anos de idade. A sua esposa Bertranda de Monforte tomou o véu aos 38 anos na abadia de Fontevraud.

Casamentos e descendência


Do primeiro casamento com Berta da Holanda (1055 - 1094), filha de Floris I da Holanda[1] (1017 - 28 de junho de 1061) e de Gertrudes da Saxónia (1035 - 4 de agosto de 1113), nasceram[2]:

  1. Constança de França (1078 - 1124), casada com Hugo I de Blois, conde de Champagne em 1097 e, depois da separação, com Boemundo I de Antioquia príncipe de Antioquia em 1106.
  2. Luís VI de França (1 de Dezembro de 1081 — 1 de Agosto de 1137), cognominado o Gordo, foi rei dos Francos de 1108 até à sua morte.
  3. Henrique de França, (n. 1083), príncipe de França, morreu jovem.
  4. Carlos de França (n. 1085), príncipe de França e abade em Charlieu, no Loire.
  5. Odo de França (1087 - 1096), morreu jovem.

Depois de repudiar a primeira esposa, Filipe casou-se em segundas núpcias com Bertranda de Monforte[3] (1070 - 1117), filha de Simão I de Monforte (1030 - 1087) e de Inês de Évreux (1035 -?), de quem nasceram:

  1. Filipe de França (ca. 1093 - depois de 1129), conde de Mantes.
  2. Fleury de França (ca. 1093 - ca. 1147), senhor de Nangis.
  3. Cecília de França (ca. 1097 - depois de 1145), princesa de França, casada com Tancredo da Galileia, príncipe da Galileia e depois com Pôncio de Trípoli, conde de Trípoli.

Bibliografia


Referências


  1. Count Holland and Frisia, Chapter 2. COUNTS OF HOLLAND (900)-1299
  2. Reis da dinastia capetiana de França (em inglês)
  3. Bertranda é referenciada na Historia Regum Francorum Monasterii Sancti Dionysii (História do Reino dos Francos do Mosteiro de São Dionísio), que fala de "Philippum et Florum et filiam unam" (Filipe e Fleury e uma filha) como a descendência de "Philippus rex [et] Fulconi Rechin Andagavorum comiti uxorem" (Rei Filipe e Bertranda), especificando que a filha não nomeada casou com "Tanchredus Anthiochenus" (Tancredo de Antioquia). A filiação de Bertranda também foi registrada por Guilherme de Tiro, arcebispo de Tiro e cronista das cruzadas, que escreveu sobre os seus dois casamentos.

Ligações externas


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Filipe I de França


Precedido por
Henrique I

Rei de França

1060 - 1108
(coroado em 1059,
sob regência até 1066)
Sucedido por
Luís VI










Categorias: Nascidos em 1052 | Mortos em 1108 | Monarcas católicos romanos | Dinastia capetiana | Pessoas excomungadas pela Igreja Católica Romana | Reis da França | Naturais da Aquitânia | Pessoas com excomunhão convertida








Data da informação: 30.05.2020 05:13:43 CEST

Fonte: Wikipedia (Autores [História])    Licença: CC-by-sa-3.0

Mudanças: Todas as imagens e a maioria dos elementos de design relacionados a essas foram removidos. Alguns ícones foram substituídos por FontAwesome-Icons. Alguns modelos foram removidos (como "o artigo precisa de expansão) ou atribuídos (como" notas de rodapé "). As classes CSS foram removidas ou harmonizadas.
Os links específicos da Wikipedia que não levam a um artigo ou categoria (como "Redlinks", "links para a página de edição", "links para portais") foram removidos. Todo link externo possui um FontAwesome-Icon adicional. Além de algumas pequenas mudanças de design, foram removidos os contêineres de mídia, mapas, caixas de navegação, versões faladas e microformatos geográficos.

Observe: Como o conteúdo fornecido é retirado automaticamente da Wikipedia no momento especificado, uma verificação manual foi e não é possível. Portanto, o LinkFang.org não garante a precisão e a atualidade do conteúdo adquirido. Se houver uma informação incorreta no momento ou com uma exibição imprecisa, sinta-se à vontade para Contate-Nos: email.
Veja também: Cunho & Política de Privacidade.