Gol contra


Gol Contra (português brasileiro) ou Autogolo (português europeu) é um lance do futebol no qual um jogador faz a bola entrar no gol de sua própria equipe, resultando em gol para a equipe adversária. O gol contra normalmente estigmatiza o seu marcador, em função do prejuízo à sua equipe.

Duas das formas mais comuns de marcar um gol contra são quando se tenta cortar um cruzamento ou passe do adversário e acaba-se por jogar a bola contra o próprio patrimônio, e quando se tenta recuar a bola para o goleiro.

Marcar um gol contra também tornou-se uma metáfora para qualquer ação que prejudique o seu autor.

Índice

No Futebol e suas Variantes (Futsal, Futebol de Salão, Futebol de Areia, Showbol)


Critérios Oficiais para um Gol ser considerado um Gol Contra

Em 2006, um grupo de estudo técnico da FIFA, aprovou os critérios exatos que definem um gol-contra. Os critérios são[1]:

De forma mais didática, Andy Roxburgh, diretor técnico da Fifa, deu a seguinte explicação: "Se a bola bate em um jogador do time que chutou ou em um adversário e entra no gol, o tento é anotado para o jogador que deu o chute. Se tiver acontecido uma mudança clara de direção, será um gol contra, ou um gol atribuído ao último jogador a tocar na bola pelo time que chutou".[2]

Marcação de Escanteio ao invés de Gol Contra

A maioria dos métodos de reiniciar a partida não permite a marcação de um gol contra, mesmo que a bola entre diretamente no próprio gol, devendo ser marcado, ao invés disso, um escanteio para a equipe adversária. Estão incluídos nesta regra o pontapé inicial, o tiro de meta, a cobrança de lateral, a própria cobrança de escanteio, e a cobrança de falta (seja ela indireta ou direta). Ou seja, caso um jogador que vá bater a cobrança de escanteio dê um chute para sua defesa e a bola entre diretamente no gol defendido por sua equipe, sem ter tocado em ninguém, o gol contra não poderá ser assinalado, mas sim um escanteio para a equipe adversária.

Tais incidentes são extremamente raros e, em alguns casos, exigem circunstâncias incomuns ou extraordinárias para ocorrer, mas exemplos já ocorreram, conforme relatados abaixo:

Em um jogo da terceira divisão da ocorrido na temporada 1983/84, o jogador Wally Downes, do Millwall Football Club, cobrou um lateral em direção ao seu goleiro, Dave Beasant, que viu a bola entrar diretamente em sua baliza, sem tocar em nenhum jogador. Neste caso, ao contrário do assinalado pelo árbitro da partida, o Millwall Football Club deveria ter sido punido com uma cobrança de escanteio contra.[3][4] Um exemplo similar aconteceu em um jogo da Premier League em 2002–03, quando o o goleiro Peter Enckelman, do Aston Villa Football Club, não conseguiu dominar a bola que veio diretamente de uma cobrança de lateral de sua equipe, e entrou em sua meta.[5][6][7] Na 16a rodada do Brasileirão 2016, Ramon, do Vitória-BA, cobrou uma falta no campo do seu time recuando para o goleiro Caíque, que teve de se esforçar para evitar que a bola entrasse no gol, jogando-a para linha de fundo, o que, pelo menos segundo as regras, foi esforço desnecessário, já que se a redonda passasse da linha entre as traves seria escanteio para o adversário igualmente.[8]

Gols contra célebres

Mais de 1 gol contra do mesmo jogador num mesmo jogo

Alguns jogadores ficaram marcados por anotarem mais de 1 gol contra no mesmo jogo. São eles:

Gols contra propositais

Outros Casos Curiosos de Gols Contra

Em Outros Esportes


Hóquei no Gelo

No Hóquei no Gelo, o crédito o gol contra vai para o último jogador do outro time que tocou por último o puck; isso ocorre porque os próprios gols no hóquei são tipicamente casos em que o jogador assim creditado teve o chute desviado, mas essa convenção é usada mesmo quando não é esse o caso. Ocasionalmente, também é creditado ao jogador mais próximo do gol da outra equipe se ele estiver determinado a fazer com que o jogador adversário lance a bola para a rede errada. Assistências não são concedidas em um gol contra, porque a equipe defensora tem a posse do disco entre qualquer passe e o próprio gol. Ocasionalmente na NHL, os jogadores têm direcionado o disco para sua própria rede vazia, seja no final do jogo ou por causa de uma chamada de penalidade atrasada. Esta foi a situação que resultou em Billy Smith dos New York Islanders se tornar o primeiro goleiro a receber crédito por um gol na NHL.

Hóquei no Campo

O tratamento dos "gols contra" no hóquei em campo variou nos últimos anos. Em 2013, a Federação Internacional de Hóquei (FIH) implementou uma "experiência obrigatória" de tal forma que um desvio de um tiro de fora do círculo de tiro de um defensor seria equivalente a um toque de um atacante, e assim se o tiro continuasse no gol pontuação seria contada. Isso se mostrou impopular e a mudança foi revertida.[26]

Atualmente a regra 8.1 afirma que "Um gol é marcado quando a bola é jogada dentro do círculo por um atacante e não viaja para fora do círculo antes de passar completamente sobre a linha do gol e sob a trave." Esclarecimento adicional: "A bola pode ser jogada por um defensor ou tocar seu corpo antes ou depois de ser jogada no círculo por um atacante."[27] Assim, um "gol contra" pode ocorrer, mas em tais situações o gol provavelmente ser creditado ao atacante cuja jogada inicial no círculo foi necessária para o gol ficar em pé.

Ver Também


Referências


  1. noticias.uol.com.br/ Fifa divulga os critérios precisos do gol-contra
  2. esportes.terra.com.br/ Fifa usa computação para resolver dilema do gol contra
  3. Simpson, Paul; Hesse, Uli (7 de novembro de 2013). «Why can'y you score an own goal from a direct free kick?». Who Invented the Stepover?: and other crucial football conundrums . [S.l.]: Profile Books. p. 78. ISBN 9781847658425. Consultado em 16 de agosto de 2017 
  4. Ward, Andrew (12 de fevereiro de 2016). «Referee who Forgot the Rules» . Football's Strangest Matches: Extraordinary but true stories from over a century of football. [S.l.]: Pavilion Books. p. 148. ISBN 9781911042280. Consultado em 16 de agosto de 2017 
  5. «Freak goal stuns Taylor» . BBC Sport. 17 de setembro de 2002 
  6. Parish, Steve (novembro de 2002). «Wrong side of the laws» . When Saturday Comes (189). Consultado em 16 de agosto de 2017 
  7. «Enckelman: I knew the rules» . TheGuardian.com. 17 de setembro de 2002. Consultado em 16 de agosto de 2017 
  8. «Furada, recuada "inimiga" de Ramon e trave de Serginho: o pacotão do Vitória» . globoesporte.com. Consultado em 6 de abril de 2019 
  9. esporte.uol.com.br/ Autor do primeiro gol da história é identificado após 125 anos
  10. esportes.terra.com.br/ Benzema marca dois, tecnologia da linha de gol é usada e França vence na estreia
  11. todofutebol.com/ O zagueiro que marcou quatro gols no mesmo jogo (e dois foram contra)
  12. esportes.estadao.com.br/ Itália vence Geórgia com dois gols contra de zagueiro do Milan
  13. «Gols contra de Goeber ajudam Botafogo a golear Cabofriense» . gazetaesportiva.net. 23 de janeiro de 2011 
  14. «Stoke 0-4 Chelsea» (em inglês). bbc.co.uk. 12 de janeiro de 2013 
  15. uolesporte.blogosfera.uol.com.br/ Brasileiro faz dois gols contra no mesmo jogo e seu time, é óbvio, perde
  16. uolesporte.blogosfera.uol.com.br/ Dois gols contra do mesmo jogador, gol perdido surreal... Este é o Galês
  17. msn.com/ Zagueiro faz dois gols contra em menos de 2 minutos
  18. «Who are the greatest runners up?» . The Guardian. 24 de maio de 2011. Consultado em 22 de março de 2012 
  19. Gardiner, Simon (2005). Sports Law. London: Routledge Cavendish. pp. 73–74. ISBN 1-85941-894-5 
  20. a b globoesporte.globo.com/ Barcelona, gols contra... A história do jogo de futsal mais bizarro de todos os tempos
  21. es.besoccer.com/ El Barça protagonizó el duelo más surrealista en la historia del fútbol sala (em castelhano)
  22. clicrbs.com.br/ Regulamentos idiotas, parte I
  23. marca.com/ El día que el Barcelona jugó para perder: goles en propia, el portero defendiendo la portería rival (em castelhano)
  24. healthcare.reachinformation.com/
  25. globoesporte.globo.com/ Sem ressentimento: marcado por gols contra, Emerson revê o Botafogo
  26. Bone, Ross (27 de novembro de 2013). «Talking Hockey: own goal rule wiped out creativity, though umpires likely to disagree» . Telegraph. Consultado em 15 de agosto de 2016 
  27. «Rules of Hockey» (PDF). FIH. 2015. Consultado em 15 de agosto de 2016 









Categorias: Terminologia do futebol | Gols do futebol




Data da informação: 24.09.2021 08:37:31 CEST

Fonte: Wikipedia (Autores [História])    Licença: CC-BY-SA-3.0

Mudanças: Todas as imagens e a maioria dos elementos de design relacionados a essas foram removidos. Alguns ícones foram substituídos por FontAwesome-Icons. Alguns modelos foram removidos (como "o artigo precisa de expansão) ou atribuídos (como" notas de rodapé "). As classes CSS foram removidas ou harmonizadas.
Os links específicos da Wikipedia que não levam a um artigo ou categoria (como "Redlinks", "links para a página de edição", "links para portais") foram removidos. Todo link externo possui um FontAwesome-Icon adicional. Além de algumas pequenas mudanças de design, foram removidos os contêineres de mídia, mapas, caixas de navegação, versões faladas e microformatos geográficos.

Observe: Como o conteúdo fornecido é retirado automaticamente da Wikipedia no momento especificado, uma verificação manual foi e não é possível. Portanto, o LinkFang.org não garante a precisão e a atualidade do conteúdo adquirido. Se houver uma informação incorreta no momento ou com uma exibição imprecisa, sinta-se à vontade para Contate-Nos: email.
Veja também: Cunho & Política de Privacidade.