Longitude prize - pt.LinkFang.org

Longitude prize


Longitude prize (em português: Prêmio Longitude) foi um prêmio concedido no século 18 pelo governo britânico. O prêmio de 20 mil libras seria dado a quem resolvesse um dos maiores desafios do século 18: como determinar a longitude de uma embarcação em alto mar?[1]

O relojoeiro inglês John Harrison, em 1765, solucionou o problema ao criar relógios que possibilitaram que navios identificassem sua posição no mar.

História do Prêmio


Com a descoberta do Novo Mundo e o aumento impressionante do fluxo de carga nas rotas marítimas tradicionais, a busca por um meio viável para determinar a longitude se tornou a prioridade nacional de vários impérios marítimos, dentre os quais a Inglaterra.

Em 1674, o Rei Charles II da Inglaterra ouviu dizer que a longitude poderia ser determinada através da observação dos astros no céu, como se a abóbada celeste funcionasse como um grande relógio. O Rei, então, perguntou ao astrônomo John Flamsteed sobre a possibilidade de o referido método ser usado para determinar a longitude.

Flamsteed respondeu a Charles II que a proposta era completamente inviável, considerando-se os conhecimentos astronômicos da época. Segundo ele, o único meio para contornar a situação seria a construção de um observatório, com o fim de aperfeiçoar as tabelas celestes existentes. A construção do observatório foi prontamente atendida pelo Rei.

Apesar dos avanços obtidos com o funcionamento do Observatório de Greenwich, um meio prático para determinação da longitude ainda não havia sido descoberto. Os naufrágios e atos de pirataria, no entanto, continuavam a ocorrer.

Após inúmeros naufrágios dos navios da Marinha Real (sendo o mais famoso deles o Desastre das Ilhas Scilly de 1707[2]), o Parlamento Britânico instituiu um prêmio milionário - através do chamado Longitude Act de 1714 - para quem descobrisse como determinar a longitude no mar. Cientistas consagrados como Isaac Newton e Edmond Halley haviam tentado estabelecer um método de calcular a longitude, a partir de experimentos de astronomia, mas sem sucesso.

Descobrir a longitude era muito difícil porque exigia uma marcação de tempo precisa. Segundo Isaac Newton, a solução estava em criar "um método é pela utilização de um relógio que mantenha o tempo com exatidão. Porém, em virtude da movimentação do navio, da variação do calor e frio, umidade e secura, e as diferenças da gravidade em diferentes latitudes, um relógio como este ainda não foi feito. E não parece que será..."

O relojoeiro inglês John Harrison criou seu primeiro protótipo de relógio marítimo em 1761, mas o Comitê da Longitude rejeitou vários de seus protótipos e exigiu mais testes[3].

4 anos após seu primeiro protótipo, e 51 anos após a criação do prêmio, Harrison inventou um relógio marítimo de 5 polegadas de diâmetro que superava o movimento das ondas, além das mudanças de umidade e temperatura do mar que sempre ameaçaram o bom funcionamento do delicado mecanismo de relógios da época (até então, os marinheiros utilizavam dois relógios para conseguir se localizar: um deles era acertado todo dia de acordo com a posição do Sol no céu e o outro mantinha a mesma hora do porto de onde o navio havia zarpado. O problema acontecia sempre com este último). O famoso relojoeiro inglês sem quase nenhuma educação formal, tinha 17 anos quando o prêmio foi estabelecido, mas ele o recebeu somente quando tinha 80 anos[1]. Ele teve pouco tempo para aproveitar as riquezas recém-conquistadas, pois morreu três anos depois, aos 83 anos.

A invenção que revolucionou a navegação e salvou inúmeras vidas, levou anos para ser reconhecida por conta das inúmeras batalhas entre membros da elite científica, que ainda estavam descrentes com a invenção.

Biografias


Referências


  1. a b noticias.br.msn.com/ Competição dá R$ 37 mi por solução de 'maior problema científico' do mundo
  2. Sobel, Dava, Longitude: The True Story of a Lone Genius Who Solved the Greatest Scientific Problem of His Time, Fourth Estate Ltd., London 1998, p. 6, ISBN 1-85702-571-7
  3. «discoverybrasil.uol.com.br/» . Consultado em 20 de maio de 2014. Arquivado do original em 20 de maio de 2014 
  4. companhiadasletras.com.br/









Categorias: Século XVIII | Navegação | Concessões científicas | Prêmios e competições de geografia | Prêmios do Reino Unido




Data da informação: 17.12.2020 02:18:30 CET

Fonte: Wikipedia (Autores [História])    Licença: CC-by-sa-3.0

Mudanças: Todas as imagens e a maioria dos elementos de design relacionados a essas foram removidos. Alguns ícones foram substituídos por FontAwesome-Icons. Alguns modelos foram removidos (como "o artigo precisa de expansão) ou atribuídos (como" notas de rodapé "). As classes CSS foram removidas ou harmonizadas.
Os links específicos da Wikipedia que não levam a um artigo ou categoria (como "Redlinks", "links para a página de edição", "links para portais") foram removidos. Todo link externo possui um FontAwesome-Icon adicional. Além de algumas pequenas mudanças de design, foram removidos os contêineres de mídia, mapas, caixas de navegação, versões faladas e microformatos geográficos.

Observe: Como o conteúdo fornecido é retirado automaticamente da Wikipedia no momento especificado, uma verificação manual foi e não é possível. Portanto, o LinkFang.org não garante a precisão e a atualidade do conteúdo adquirido. Se houver uma informação incorreta no momento ou com uma exibição imprecisa, sinta-se à vontade para Contate-Nos: email.
Veja também: Cunho & Política de Privacidade.