Mesentério - pt.LinkFang.org

Mesentério



Mesentério
Disposição horizontal do peritoneu, na parte inferior do abdómen. O mesentério está marcado em vermelho.
Disposição vertical do peritônio. Cavidade principal em vermelho, bolsa omental em azul.
Latim Mesenterium
MeSH Mesentery

O mesentério (do grego μεσεντέριον) é um órgão em forma de leque que dá suporte ao jejuno e ao íleo. Faz parte do peritônio, sendo formado por tecido conjuntivo denso extraperitoneal, vasos sanguíneos, nervos e vasos e gânglios linfáticos. Na fase embrionária o peritônio é dividido em dois mesentérios -ventral e dorsal, mas, o mesentério ventral gradualmente desaparece deixando apenas a parte caudal do intestino anterior. A fronteira intestinal do mesentério é de cerca de seis metros e meio de comprimento. [1]

Em pessoas corpulentas, o mesentério, assim como o omento, contém uma quantidade excessiva de gordura. Este aumento de peso do tecido mesentérico tende a alongá-lo irregularmente e, portanto, predispõe a uma hérnia.[2]

Em 2017, o Mesentério foi classificado como um órgão do corpo humano, pelo fato de terem sido reveladas características anatômicas e funcionais distintivas que justificam a reclassificação.[3]

Índice

Estrutura


A raiz do mesentério é de cerca de 15 centímetros de comprimento, e é ligado à parede posterior da cavidade abdominal. A linha de fixação da raiz do mesentério é oblíqua. Estende-se do final do duodeno, próximo a borda inferior do pâncreas até o lado esquerdo da segunda vértebra lombar, para a base do ceco, o qual é na fossa ilíaca direita , perto da articulação sacro-ilíaca direita.[2]

Mesentério Dorsal do Esôfago

No esôfago ocorre a fusão do mesentério dorsal com o septo transverso e as membranas pleuroperitoneais. No mesentério dorsal do esôfago crescem os mioblastos se desenvolve em Crura do Diafragma, que é um par de feixes musculares divergentes em formas de pernas que cruzam o plano mediano em posição anterior à aorta.[4]

Mesentério do Estômago

Mesogástrio dorsal primitivo é a parte que une o estomago e o duodeno ao fígado e à parede ventral da cavidade abdominal.

Mesentério ventral

O mesentério delgado ventral origina duas estruturas:

Irrigação


Entre os dois folhetos peritoneais passam, dentro de uma camada de gordura, os elementos que chegam ou partem do intestino delgado: como a artéria mesentérica superior que origina-se da parte abdominal da aorta descendente e se ramifica em artérias jejunais e ileais. Esta é responsável por irrigar todo o intestino delgado, exceto a parte superior do duodeno; também irriga o cécum, colo ascendente e uma porção do colo transverso; a veia mesentérica superior este vaso drena o íleo e o jejuno. A veia mesentérica superior e a veia esplênica sofrem anastomose e dão origem a veia porta hepática; e a veia mesentérica inferior e os seus ramos. [5]

Vasos e Gânglios Linfáticos


A principal divisão da porção linfática superior do mesentério é em Glândulas Mesentérica, Glândulas Ileocólicas e Glândulas Mesocólicas. A parte inferior é constituída por pequenas glândulas de artérias nos ramos cólicos esquerdo e sigmoide; e um grupo do mesocolo sigmoide.[6] Os vasos linfáticos especializados nas vilosidades intestinais que absorvem gordura são denominados lactíferos devido a aparência esbranquiçada do fluido que contem durante a digestão intestinal. A linfa atravessa no mesentério sequencialmente três tipos de linfonodos que são, os linfonodos juntaintestinais, linfonodos mesentéricos e linfonodos centrais superiores.

Inervação


No plexo nervoso mesentérico superior passam as fibras simpáticas do jejuno e íleo. As fibras simpáticas pré-ganglionares fazem sinapse nos corpos celulares dos neurônios simpáticos pós-ganglionares, gânglios celíacos e mesentérico superior. As fibras parassimpáticas nos nervos para o jejuno e íleo provêm dos troncos vagais posteriores. As fibras parassimpáticas pré-ganglionares fazem sinapse com os neurônios parassimpáticos pós-ganglionares nos plexos mioentérico e submucoso na parede intestinal.

A estimulação simpática é responsável pela redução da ação peristáltica e secretora do intestino e atua como um vasoconstrictor, reduzindo ou interrompendo a digestão e disponibilizando sangue para "fugir ou lutar". Enquanto que o estimulo parassimpático aumenta a atividade peristáltica e secretora do intestino, restaurando o processo de digestão após uma reação simpática. Apesar de possuir fibras sensitivas o intestino delgado é insensível á maioria dos estímulos dolorosos, por exemplo incisão e queimadura; entretanto é sensível à distensão que é percebida como cólica. [5]

Patologias do Mesentério


Reclassificação


Em novembro de 2016 foi publicada na renomada revista científica britânica The Lancet Gastroenterology & Hepatology uma reclassificação desse ligamento para um órgão.[7] Como referiu J. Calvin Coffey pesquisador do University Hospital Limerick, na Irlanda, responsável pela equipe que realizou a descoberta, "A descrição anatômica de cem anos atrás era incorreta. Este órgão está longe de ser fragmentado; é uma estrutura simples, contínua e única".[8][9][10]

A reclassificação da estrutura abre caminho para novos estudos e melhor entendimento sobre sua funcionalidade.

Referências


  1. «Qual a função do mesentério» . Consultado em 10 de fevereiro de 2013 
  2. a b http://www.anatomyexpert.com/structure_detail/4820/1337/
  3. http://www.thelancet.com/journals/langas/article/PIIS2468-1253(16)30026-7/abstract
  4. [Embriologia Básica]
  5. a b [Anatomia Orientada para a Clínica]
  6. [Anatomy of the Human Body| Anatomia do Corpo humano]
  7. O'Leary, D Peter; Coffey, J Calvin (Novembro de 2016). «The mesentery: structure, function, and role in disease» . The Lancet Gastroenterology & Hepatology. 1 (3): 238 - 247. doi:10.1016/S2468-1253(16)30026-7 . Consultado em 4 de janeiro de 2017 
  8. «O que é e onde fica o mesentério, o 'novo' órgão do corpo humano identificado por cientistas» . BBC Brasil. 4 de janeiro de 2017. Consultado em 4 de janeiro de 2017 
  9. «Mesentério: cientistas descobrem novo órgão do corpo humano» . Isto É. 4 de janeiro de 2017. Consultado em 4 de janeiro de 2017 
  10. Ben Guarino (4 de janeiro de 2017). «Meet the mesentery: Scientists say this gut membrane should be the newest organ» . The Washington Post (em inglês). McClatchyDC. Consultado em 4 de janeiro de 2017 
Este artigo sobre Anatomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o .








Categorias: Sistema digestivo | Abdômen








Data da informação: 17.12.2020 11:51:05 CET

Fonte: Wikipedia (Autores [História])    Licença: CC-by-sa-3.0

Mudanças: Todas as imagens e a maioria dos elementos de design relacionados a essas foram removidos. Alguns ícones foram substituídos por FontAwesome-Icons. Alguns modelos foram removidos (como "o artigo precisa de expansão) ou atribuídos (como" notas de rodapé "). As classes CSS foram removidas ou harmonizadas.
Os links específicos da Wikipedia que não levam a um artigo ou categoria (como "Redlinks", "links para a página de edição", "links para portais") foram removidos. Todo link externo possui um FontAwesome-Icon adicional. Além de algumas pequenas mudanças de design, foram removidos os contêineres de mídia, mapas, caixas de navegação, versões faladas e microformatos geográficos.

Observe: Como o conteúdo fornecido é retirado automaticamente da Wikipedia no momento especificado, uma verificação manual foi e não é possível. Portanto, o LinkFang.org não garante a precisão e a atualidade do conteúdo adquirido. Se houver uma informação incorreta no momento ou com uma exibição imprecisa, sinta-se à vontade para Contate-Nos: email.
Veja também: Cunho & Política de Privacidade.