Paratormona


O hormônio da paratireoide, paratormônio (português brasileiro) ou hormona paratiroide, paratormona (português europeu) (PTH) é formado na glândula paratireóide e segregado na circulação sanguínea. A PTH intacta é composta por uma única cadeia polipeptídica com 84 aminoácidos e tem um peso molecular de aproximadamente 9500 daltons.

O PTH provoca, juntamente com a vitamina D e a calcitonina, a mobilização de cálcio e de fosfato no sistema esquelético e aumenta a absorção de cálcio no intestino, assim como a eliminação de fosfatos através dos rins. A constância do nível de cálcio no sangue é garantida pela ação conjunta da PTH e da calcitonina. A secreção de PTH é inibida pela elevadas concentrações de cálcio e promovida pelas baixas concentrações.

O paratormônio estimula a atividade osteolítica (destruidora do cristal do osso) dos osteoclastos e a osteólise osteocítica (reabsorção de cálcio e fosfato em osso ainda não mineralizado); aumenta a absorção renal de cálcio; aumenta a absorção de vitamina D e a síntese de 1,25(OH)2 Vitamina D; e absorção intestinal de cálcio, o que se traduz num incremento rápido e sustentado da quantidade de cálcio no sangue.

Também tem influência na concentração sanguínea de fosfato, aumentando a excreção renal deste íon pela diminuição da sua absorção nos túbulos renais e isso pode ser fatal.

Índice

Metabolismo e modo de ação


O PTH é secretado pelas células principais das glândulas paratiroides. A sua síntese inicia-se nos ribossomas, sendo traduzida na forma de Pré-proPTH. O fragmento pré permite o transporte e co-tradução para o RER, onde sofre proteólise e é removida a sequência final. A proPTH é posteriormente transportada para o complexo de Golgi da paratiroide onde ocorre a formação final da PTH. Esta tem, então, 3 destinos possíveis: armazenamento, degradação ou secreção imediata.

Síntese, secreção e metabolismo


A biossíntese de PTH e a sua subsequente degradação são reguladas pela concentração sérica de Ca2+ e pelos níveis de calcitriol, a vitamina D activa.

A diminuição do Ca2+ sérico resulta num aumento do mRNA da PTH e, consequentemente, num aumento da síntese de PTH. Além disso, a síntese de PTH é também condicionada pelos níveis de calcitriol, já que este, quando em níveis elevados, pode ligar-se a um receptor que inibe a transcrição do gene da PTH. Uma vez que a produção de calcitriol é promovida pela 1α-hidroxilase, enzima dependente da PTH, está evidente a presença de um feedback negativo.

A maior parte do mecanismo de proteólise da PTH ocorre na tiróide, podendo também sofrer proteólise noutros tecidos, como no fígado por acção das células de Kupffer.

A secreção é dependente da concentração sérica de Ca2+. A ligação de Ca2+ a um receptor associado a uma proteína G promoverá a libertação de Ca2+ dos locais de armazenamento e a activação da proteína cinase C, levando a um aumento da [Ca2+] intracelular, que por sua vez levará à inibição da secreção hormonal.

Ação da PTH


A PTH atua ao nível do rim, do osso e do intestino.

Os órgãos sobre os quais a PTH atua possuem células com receptores membranares da PTH associados à proteína G que estimulam a proteína cinase A, que tem ação ao nível dos canais de Ca2+ da membrana celular, e a fosfolipase C, que produz IP3 e DAG. O IP3 leva à liberação de Ca2+ do retículo endoplasmático, cujo aumento intracelular activa as cinases dependentes de Ca2+.

A PTH atua ao nível do osso, a sua liberação de maneira contínua provoca o aumento da reabsorção óssea pela liberação de RANKL nos osteoblastos, que causa a activação dos osteoclastos que, por sua vez, libertam citoquinas que promovem a diferenciação de percursores de osteoclastos em osteoclastos. Liberado de maneira intermitente, faz com os osteoblastos produzam osteoprotegerina, que inibe o RANKL, impedindo a ação reabsortiva dos osteoclastos.

A PTH atua também ao nível do rim, onde aumenta a actividade da 1α-hidroxilase (responsável pela produção de calcitriol) e promove o aumento da reabsorção de Ca2+ e a diminuição da reabsorção de Pi.

A nível intestinal, como a PTH promove a formação de vitamina D ativa, vai levar ao aumento indireto da absorção de Ca2+ e Pi no intestino.

Em casos de dietas prolongadas com deficiência de cálcio, a PTH evita a hipocalcemia à custa da degradação do osso/reabsorção óssea.

Referências











Categorias: Hormônios | Fisiologia renal




Data da informação: 03.06.2022 07:58:56 CEST

Fonte: Wikipedia (Autores [História])    Licença: CC-BY-SA-3.0

Mudanças: Todas as imagens e a maioria dos elementos de design relacionados a essas foram removidos. Alguns ícones foram substituídos por FontAwesome-Icons. Alguns modelos foram removidos (como "o artigo precisa de expansão) ou atribuídos (como" notas de rodapé "). As classes CSS foram removidas ou harmonizadas.
Os links específicos da Wikipedia que não levam a um artigo ou categoria (como "Redlinks", "links para a página de edição", "links para portais") foram removidos. Todo link externo possui um FontAwesome-Icon adicional. Além de algumas pequenas mudanças de design, foram removidos os contêineres de mídia, mapas, caixas de navegação, versões faladas e microformatos geográficos.

Observe: Como o conteúdo fornecido é retirado automaticamente da Wikipedia no momento especificado, uma verificação manual foi e não é possível. Portanto, o LinkFang.org não garante a precisão e a atualidade do conteúdo adquirido. Se houver uma informação incorreta no momento ou com uma exibição imprecisa, sinta-se à vontade para Contate-Nos: email.
Veja também: Cunho & Política de Privacidade.