Período elisabetano - pt.LinkFang.org

Período elisabetano


O período elisabetano ou período isabelino, é o período associado ao reinado da rainha Isabel I de Inglaterra, também conhecida como Elizabeth em inglês (1558-1603). É frequentemente considerado uma era dourada da história inglesa. Esta época corresponde ao ápice da renascença inglesa, na qual se viu florescer a literatura e a poesia do país. Este foi também o tempo durante o qual o teatro elisabetano cresceu, e Shakespeare, entre outros, escreveu peças que rompiam com o estilo a que a Inglaterra estava acostumada. Foi um período de expansão e da exploração no exterior, enquanto no interior a Reforma Protestante era estabelecida e defendida contra as forças católicas do continente.

O símbolo da Britânia (uma personificação feminina da Grã-Bretanha) foi usado pela primeira vez em 1572, e muitas vezes depois, para marcar a era elisabetana como um renascimento que inspirou o orgulho nacional através de ideais clássicos, expansão internacional e triunfo naval sobre o Império Espanhol - na época, um reino rival muito odiado pelo povo da terra. Em termos de todo o século, o historiador John Guy (1988) argumenta que "a Inglaterra era economicamente mais saudável, mais expansiva e mais otimista sob os Tudors" do que em qualquer época em mil anos.[1]

O período elisabetano é assim tão considerado em parte pelo contraste com os períodos anterior e posterior. Foi um breve período de paz nas batalhas entre protestantes e católicos, e as batalhas entre o parlamento e a monarquia que engolfaram o século XVII. As divisões entre o catolicismo e protestantismo foram definidas momentaneamente pelo "Estabelecimento Religioso Elisabetano" e o parlamento ainda não era forte o suficiente para desafiar o absolutismo real.

A Inglaterra também estava bem se comparada às outras nações europeias. O renascimento italiano acabou sob o peso da dominação estrangeira na península. A França estava envolvida em suas próprias batalhas religiosas que só terminariam em 1598 com o Édito de Nantes. Em parte por causa disto (mas também porque os ingleses tinham sido expulsos de seus últimos territórios no continente), os conflitos seculares entre França e Inglaterra suspenderam-se durante o Período Elisabetano.

O único grande rival era a Espanha, a quem os ingleses enfrentaram tanto na Europa, quanto na América. A Inglaterra perdeu algumas batalhas notáveis para a Espanha, mas venceu a mais importante quando a Armada Espanhola foi derrotada.

A Grã-Bretanha nesse período teve um governo centralizado, bem organizado e eficaz, na maior parte um resultado das reformas de Henrique VII e Henrique VIII. Economicamente o país começou a beneficiar-se extremamente da nova era de comércio transatlântico.

Os historiadores e os biógrafos modernos da Europa pós-imperial tendem a ter uma visão bem mais racional e imparcial do período de Tudor. A Inglaterra elisabetana não foi particularmente bem sucedida no âmbito militar durante esse período. O bem-estar econômico do país também foi questionado.

O período elisabetano também viu a Inglaterra começar a desempenhar um papel principal no tráfico de escravos, assim como uma série de campanhas militares inglesas sangrentas na Irlanda católica, com destaque para as Rebeliões de Desmond e a Guerra dos Nove Anos.

Apesar das conquistas obtidas durante este período, menos de 40 anos depois da morte da rainha Isabel, o país imergiu na Guerra Civil Inglesa.

Roupas e vida doméstica


A moda da corte elisabetana foi pesadamente influenciada pelos estilos espanhol e francês. As peças de roupa notáveis desse período incluem o farthingale (armação usada sob a saia para estendê-la horizontalmente) para mulheres, estilos militares como o mandilhão para os homens, e colarinhos bufantes para ambos os sexos. O período elisabetano viu também a ascensão do bordado doméstico para roupas e nas mobílias.

A refeição típica da época incluía o lear (um tipo de mingau ou papa com ervilhas ou feijões), todos os tipos de carne animal e numerosos tipos de fruta e de vegetais.

Pessoas notáveis do período elisabetano


Referências


  1. John Guy (1988) Tudor England, Oxford University Press, p. 32 ISBN 0192852132









Categorias: Milagres econômicos | História da Inglaterra | Século XVI na Inglaterra | Século XVII na Inglaterra | Isabel I de Inglaterra




Data da informação: 17.12.2020 11:58:21 CET

Fonte: Wikipedia (Autores [História])    Licença: CC-by-sa-3.0

Mudanças: Todas as imagens e a maioria dos elementos de design relacionados a essas foram removidos. Alguns ícones foram substituídos por FontAwesome-Icons. Alguns modelos foram removidos (como "o artigo precisa de expansão) ou atribuídos (como" notas de rodapé "). As classes CSS foram removidas ou harmonizadas.
Os links específicos da Wikipedia que não levam a um artigo ou categoria (como "Redlinks", "links para a página de edição", "links para portais") foram removidos. Todo link externo possui um FontAwesome-Icon adicional. Além de algumas pequenas mudanças de design, foram removidos os contêineres de mídia, mapas, caixas de navegação, versões faladas e microformatos geográficos.

Observe: Como o conteúdo fornecido é retirado automaticamente da Wikipedia no momento especificado, uma verificação manual foi e não é possível. Portanto, o LinkFang.org não garante a precisão e a atualidade do conteúdo adquirido. Se houver uma informação incorreta no momento ou com uma exibição imprecisa, sinta-se à vontade para Contate-Nos: email.
Veja também: Cunho & Política de Privacidade.