Revolta dos Condes - pt.LinkFang.org

Revolta dos Condes


A revolta dos Condes em 1075 foi uma rebelião de três condes contra Guilherme I de Inglaterra (Guilherme, o Conquistador). Foi o último grave ato de resistência contra o rei inglês após a conquista normanda.[1]

Curso


A revolta foi causada pela recusa do rei (em sua ausência – ele estava na Normandia desde 1073) em sancionar o casamento entre Ema (filha de Guilherme FitzOsbern, 1.º Conde de Hereford e Adelissa de Tosny) e Raul de Gael, Conde da Ânglia Oriental em 1075. Casaram-se da mesma forma.

Então, na ausência de Guilherme, Raul, Rogério de Breteuil, 2.º Conde de Hereford (seu novo cunhado), e Valteofo, 1.º Conde da Nortúmbria começaram a revolta; mas foram assolados por desastres. Valteofo logo perdeu o coração e confessou a conspiração a Lanfranco, arcebispo de Cantuária, que pediu ao conde Rogério para voltar à sua lealdade, e, finalmente, o excomungou junto aos seus seguidores, e, em seguida, a Guilherme, que estava na Normandia.[2]

Rogério, que deveria trazer a sua força a partir do oeste para juntar-se a Raul, foi mantida em cheque no rio Severn pela fyrd de Worcestershire que o bispo inglês Vulstano trouxe para o campo contra ele. Raul, no entanto, encontrou uma força muito superior sob os bispos guerreiros Odo de Bayeux e Godofredo de Montbray (este último ordenou que todos os rebeldes deveriam ter o seu pé direito cortado), perto de Cambridge e se retirou às pressas para Norwich, perseguido pelo exército real. Deixando Ema defender o Castelo de Norwich, Raul embarcou para a Dinamarca em busca de ajuda. Ele finalmente voltou para a Inglaterra com uma frota de 200 navios sob Canuto e Hakon, mas eles não conseguiram fazer nada eficaz.

Enquanto isso, a condessa resistiu em Norwich até que ela obteve termos para ela e seus seguidores, que foram privados de suas terras, mas foram autorizados a terem 40 dias para deixar o reino. A condessa se ​​retirou para sua propriedade, na Bretanha, onde foi acompanhada por seu marido.

Resultados


Referências


  1. Horspool, David (2009). The English Rebel (em inglês). [S.l.]: Penguin UK. ISBN 0670918261 
  2. Harper-Bill, Christopher (2005). Medieval East Anglia (em inglês). [S.l.]: Boydell Press. p. 169. ISBN 1843831511 
  3. Chisholm, Hugh (1911). The Encyclopædia britannica (em inglês) 11 ed. [S.l.]: The Encyclopædia Britannica Company 









Categorias: Século XI na Inglaterra | Batalhas envolvendo os anglo-saxões | Conquista normanda da Inglaterra




Data da informação: 17.12.2020 03:52:32 CET

Fonte: Wikipedia (Autores [História])    Licença: CC-by-sa-3.0

Mudanças: Todas as imagens e a maioria dos elementos de design relacionados a essas foram removidos. Alguns ícones foram substituídos por FontAwesome-Icons. Alguns modelos foram removidos (como "o artigo precisa de expansão) ou atribuídos (como" notas de rodapé "). As classes CSS foram removidas ou harmonizadas.
Os links específicos da Wikipedia que não levam a um artigo ou categoria (como "Redlinks", "links para a página de edição", "links para portais") foram removidos. Todo link externo possui um FontAwesome-Icon adicional. Além de algumas pequenas mudanças de design, foram removidos os contêineres de mídia, mapas, caixas de navegação, versões faladas e microformatos geográficos.

Observe: Como o conteúdo fornecido é retirado automaticamente da Wikipedia no momento especificado, uma verificação manual foi e não é possível. Portanto, o LinkFang.org não garante a precisão e a atualidade do conteúdo adquirido. Se houver uma informação incorreta no momento ou com uma exibição imprecisa, sinta-se à vontade para Contate-Nos: email.
Veja também: Cunho & Política de Privacidade.